Salvando vidas a bordo do novo navio de apoio da Noruega

O novo navio de apoio da Marinha Norueguesa KNM Maud, atualmente baseado em Bergen, Noruega, conta com instalações hospitalares de última geração, unidades de trauma e terapia intensiva além de uma câmara de pressão. O hospital a bordo do navio foi projetado e parcialmente equipado pela Saab.


Pode até parecer um espaço limitado dentro de um navio, mas quando se trata de cuidados intensivos e de trauma, a embarcação tem tanta qualidade quanto um hospital norueguês convencional, de médio a grande porte.

Com 183 metros de comprimento e deslocamento de 27.500 toneladas, o KNM Maud é, de longe, o maior navio das marinhas dos países nórdicos. O grande guindaste no convés significa que a embarcação não depende de guindastes de doca para transferir cargas, e os dois maciços chamados "reabastecimento em plataformas marítimas" podem transferir combustível para outros navios enquanto navegam em mar aberto. Dois helicópteros NH 90 (ou qualquer outro helicóptero naval da OTAN) podem ser operados no heliporto e no hangar que ficam na popa do navio.

"A missão principal da KNM Maud é atuar como um navio de apoio logístico para a Marinha Norueguesa e participar de missões aliadas", disse o comandante e capitão de navio, Thorvall Dahll. "Também pode ser um ativo vital em missões humanitárias, como as operações de socorro em desastres, controladas pelas Organização das Nações Unidas (ONU), principalmente pelas amplas capacidades médicas do navio". 

Em 2012, o estaleiro coreano DSME (Daewoo Shipbuilding & Marine Engineering) foi selecionado para construir o hospital completo no KNM Maud, mas o estaleiro não tinha experiência. Sendo assim, a DSME contratou os sistemas de assistência médica da Saab para integrar as instalações do hospital, garantindo que o layout fosse utilizado de forma a maximizar sua eficiência, que todos os sistemas e médicos seguissem as normas determinadas. A Saab usou seu conhecimento médico para transformar em realidade as especificações médicas da Marinha norueguesa.

"Eu diria que o estaleiro tem dependido da Saab para projetar um hospital eficaz", disse Jon Helge Vasbø, comandante e cirurgião naval a bordo do KNM Maud.

O hospital está equipado com instalações para operações, um scanner de ressonância magnética, unidade de tratamento de trauma, unidade de terapia intensiva, uma câmara de pressão para atender mergulhadores feridos, enfermaria de isolamento, um consultório odontológico, além de 48 leitos e outras áreas. A unidade também conta com todos os sistemas de suporte necessários para operar um hospital, como esterilização de ferramentas e equipamentos, farmácia, oxigênio médico e outros gases.

"Andar pelo navio parece surpreendentemente semelhante a um hospital em terra, uma decisão consciente", segundo Jon Helge. No entanto, há algumas coisas a serem consideradas ao projetar um hospital para trabalhar a bordo de um navio. "Trata-se de uma plataforma que se move, por isso há alguns desafios em manter as coisas estáveis ​​e, até certo ponto, em realizar cirurgias a bordo", comentou Helge. "Mas a KNM Maud é uma embarcação grande e estável e estamos confiantes de que, uma vez experimentada em mar agitado, essa será uma plataforma sólida para o trabalho médico".

Para impedir que as camas rolem e as lâmpadas girem em mar agitado, laços de metal foram soldados em locais estratégicos, permitindo que o que é essencialmente um equipamento médico terrestre seja protegido no mar.Como era impossível instalar o hospital em um único convés, foi tomada a decisão de ter uma grande área no convés do helicóptero, onde ocorre o primeiro atendimento dos pacientes e depois eles são levados pelo elevador para o hospital principal, no convés abaixo. Dependendo de sua condição, eles são enviados para a enfermaria, diretamente para a cirurgia ou para a unidade de terapia intensiva a ser estabilizada.

"Embora o número de leitos da enfermaria seja menor que a do menor hospital regional norueguês, nossa capacidade de tratamento intensivo e trauma está se compara a um hospital nacional de médio a grande porte no país", continuou Jon Helge.

A razão para essa relação incomum entre leitos de enfermaria e capacidade de terapia intensiva / trauma é que o hospital da KNM Maud se concentrará em receber feridos e estabilizar sua condição o suficiente para serem transferidos para os hospitais em terra, maximizando assim o número de vidas que podem ser salvas no espaço limitado disponível a bordo do navio.