Materiais compósitos A inovação está aí, mas é quase invisível

 

O conceito de “sanduíche” de plástico reforçado com fibra de vidro – o GRP – é uma estrutura tecnológica de última geração. E assim são formadas as estruturas do casco e do deck dos navios de contramedidas de minagem, por exemplo. Elas são fabricadas com o GRP, genericamente chamado de material composto. Esse material é utilizado em método especial desenvolvido em estreita cooperação entre a Administração de Materiais de Defesa Sueca (FMV) e a Saab. O material composto não sofre os efeitos de corrosão ou degradação e é completamente não magnético.

Resultado de anos de investimento, os materiais compósitos podem ser utilizados para aplicações navais e os principais benefícios em relação ao seu uso incluem a capacidade multimissão, devido a sua estrutura não magnética e leve; uma maior eficácia operacional devido às qualidades sigilosas incorporadas que permitem uma operação com riscos reduzidos de danos e perdas; aumento da capacidade de sobrevivência por conta de estruturas firmes com excelente resistência às explosões subaquáticas; capacidade de alta carga útil, alta velocidade ou longo alcance; longo período de vida, que, juntamente com o baixo custo de manutenção, resulta em menor custo no ciclo de vida. Outro ponto de destaque é a facilidade com a manutenção, sendo suficientes cuidados básicos como limpeza e pintura. Os resultados foram confirmados após exaustivos testes de material.