Mid-Life upgrade Adaptações que garantem longevidade e modernidade operacional

Soluções navais, aéreas e terrestres, projetadas para operar durante décadas, são submetidas a missões desafiadoras em ambiente hostis em que devem atravessar mares, céus ou campos conflituosos.

Para garantir a operacionalidade de seus sistemas, durante toda a vida útil, e o sucesso das missões, esses produtos podem passar por revisões e upgrades regulares, adquirindo novas tecnologias e desenvolvimentos, se equiparando, em alguns casos, a produtos recém-lançados.

Esta operação é referência, e representa um dos importantes modelos de negócios da Saab, que trabalha na "atualização de meia vida", ou conhecida pelo termo em inglês Mid-Life Upgrade (MLU), de sistemas e produtos de várias forças ao redor do mundo.

"Trata-se de uma tendência mundial entre as forças armadas, pois muitos países que contam com investimentos mais enxutos em Defesa, encontram, nesse tipo de negócio, a oportunidade ideal de adquirir soluções que podem ser atualizadas, mesmo tendo servido a outras forças no passado", explica Gunnar Wieslander, vice-presidente sênior e diretor da área de negócios Saab Kockums. "Nese tipo de operação, os sistemas internos são substituídos por equipamentos de tecnologia de última geração, fazendo com que um submarino de 20 anos, por exemplo, atinja seu estado da arte em relação à integração de sistemas e tecnologia", complementa Gunnar.

Gotland: um submarino dos anos 1990 com sistemas embarcados de última geração

Um caso sinônimo de sucesso é a recente atualização do submarino HSwMS Gotland pertencente à Marinha Sueca. Em junho, a Saab anunciou seu retorno ao mar para a realização de testes após um período de modernização. Os submarinos da classe Gotland receberam atualizações e melhorias regulares durante todo o tempo que serviu à Marinha.

"O relançamento do Gotland é um marco importante no desenvolvimento evolutivo dos submarinos suecos. Após uma atualização completa que integrou a última geração de sistemas importantes, como o Stirling Engine, sensores modernos e novas funções de gerenciamento, o submarino é praticamente um produto novo, que está altamente capacitado e pronto para assumir missões em todo o mundo", explica Gunnar Wieslander, vice-presidente sênior e diretor da área de negócios Saab Kockums.

A classe Gotland foi projetada e construída pela Kockums, na cidade sueca de Malmö, no início dos anos 1990 e comissionada em 1996. Essa atualização de meia vida sustenta a operacionalidade do submarino e assegura suas atividades a serviço da Suécia para missões que vão além de 2025.

O processo de atualização contemplou muitos sistemas importantes, como é o caso da Propulsão Independente Stirling Air (do termo em inglês Stirling Air Independent Propulsion - AIP), uma tecnologia de propulsão marítima que permite que um submarino não nuclear opere sem acesso ao oxigênio atmosférico. Além do AIP, outros sensores e sistema de gerenciamento também foram substituídos por versões atualizadas, até mesmo o periscópio óptico tradicional, que foi substituído por um novo mastro optrônico.

Esta versão revitalizada do Gotland abre caminho para o mais moderno submarino AIP em produção atualmente, o A26, para a Marinha Real da Suécia. Mais de vinte sistemas que estão a bordo na nova classe Gotland serão implementados no A26, ou seja, essa atualização contribui para o teste e a qualificação de algumas das soluções inovadoras que serão implementadas na futura classe de submarinos suecos.