Saab e Dockstavarvet: reforço no portfólio e no poder naval

No final de 2017, a unidade naval da Saab, a Kockums, adquiriu o estaleiro N. Sundin Dockstavarvet AB com o objetivo de potencializar sua contribuição para o mercado mundial com produtos, serviços e soluções líderes no segmento de Defesa e Segurança.

Conhecido também como Docksta, o estaleiro foi fundado em 1905 e, há três décadas, desenvolve e fabrica lanchas multimissões de alta performance e velocidade. Desde então, já foram entregues mais de 200 unidades do produto em três continentes para diversas marinhas e órgãos de segurança pública.

Com essa aquisição, a Saab incorpora ao seu portfólio mais de 110 anos de história e conhecimento no segmento de lanchas de combate e de patrulha, usadas para salvamento, combate a incêndios, aviso de praticagem, etc.

Além disso, também são expandidas as possibilidades de desenvolvimento de embarcações ou estruturas de alumínio a fim de apresentar aos clientes amplas soluções de qualidade, adaptadas para diversos ambientes que vão de rios e áreas ribeirinhas, até águas azuis, marrons e confinadas. "A compra da Dockstavarvet nos parece uma combinação perfeita, pois a Saab impulsiona a nossa capacidade de exportação e a conquista de novos mercados e, em contrapartida, transferimos o compromisso de uma longa carteira de clientes e uma equipe comprometida", explica Anders Hellman, CEO da N. Sundin Dockstavarvet AB.

Atualmente, um dos maiores mercados de exportação do Docksta é o México. Ao país, são exportadas as lanchas de combate e patrulha, como é o caso da embarcação CB 90. Além disso, recentemente, como parte do programa "POLARIS II", iniciado em dezembro de 2017, foi entregue à Marinha Mexicana o modelo IC 16 M, uma lancha de interceptação chamada "MIAPLACIDUS", que vai somar à esquadrilha existente e servirá de ferramenta vital para os esforços da Força Naval no combate ao tráfico de drogas.

A experiência do Docksta no Brasil

Em 2004, o Exército Brasileiro participou de diversas simulações, com demonstrações e treinamentos reais bem-sucedidos com a lancha de combate modelo CB 90 H na região do Amazonas. Considerado um ambiente árduo por conta da alta umidade que beira os 90%, as variações de mais de 8 metros no nível dos rios e a temperatura que vai de 16°C a 32°C, as embarcações apresentaram desempenho positivo. Capazes de transportar 20 soldados e carga com velocidade de no mínimo 20 nós, as lanchas são 100% produzidas em alumínio com estrutura reforçada para alta velocidade e atracagem em áreas desertas e sem recursos.

"As características únicas dos modelos oferecidos pela Docksta, que vão desde a blindagem em todo espaço habitável, o controle de temperatura, até a automação, armamento de precisão e alta cadência, impressionam os clientes globais e viabilizam a opção de novas inserções no mercado de Defesa no Brasil e na América Latina", comenta Gunnar Wieslander, vice-presidente sênior e diretor da área de negócios da Saab Kockums. "É possível, inclusive, que opções mais orientadas para as questões de segurança sejam utilizadas por Policias Federais, por conta do alto desempenho da lancha em, por exemplo, girar em seu próprio eixo e otimizar as manobras em espaços reduzidos como águas confinadas em baías, lagos e lagoas", complementa o executivo.

Anos e acontecimentos

1905 – N & C Sundins Båtbyggeri foi fundada pelos primos Nils Sundin e Carl Sundin.

1910 – Entregue o primeiro barco para a praticagem de Ulvö.

1957 – Entrega do primeiro barco construído em aço, uma embarcação para praticagem de 11,55 metros.

1969 – É entregue a primeira lancha de alumínio.

1989 – Dois protótipos da lancha CB 90 H são solicitadas pela Administração Sueca de Materiais de Defesa (FMV).

1999 – São exportadas 40 unidades da lancha CB 90 H para as Forças Armadas do México.

2007 – A Dockstavarvet adquire 55 % do estaleiro de reparos Muskövarvet AB.

2017 – O estaleiro Dockstavarvet é adquirido pela Saab Kockums.