Grupo de Alto Nível Brasil-Suécia em Aeronáutica se reúne para falar sobre cooperação bilateral

Membros do Grupo de Alto Nível Brasil-Suécia em Aeronáutica (HLG, sigla em inglês) reuniram-se em Brasília para discutir atividades aeronáuticas conjuntas que serão mutuamente benéficas para ambos os países, a fim de criar sistemas de inovação aprimorados.

Phoyo by Washington Costa/MDIC

A quarta reunião do Grupo de Alto Nível em Aeronáutica (HLG) aconteceu no dia 21 de novembro, em Brasília, e foi presidida por Yana Dumaresq, Secretária Executiva e Ministra Substituta do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e por Niklas Johansson, vice-ministro da Indústria e Inovação da Suécia.

O HLG, criado em 2015 como resultado da exportação do Gripen para o Brasil, contou com a participação de representantes das forças aéreas sueca e brasileira, instituições governamentais, setor privado (incluindo Saab e Embraer) e universidades dos dois países.

O Grupo apresentou atualizações do Plano Estratégico de Cooperação no Setor Aeronáutico (2018-2020), um plano de longo prazo que envolve uma cooperação em tripla hélice composta por governo, setor acadêmico e indústria. Entre as ações, estão o desenvolvimento conjunto de robôs de automação para a indústria aeronáutica, pesquisadores convidados em ambos os países, treinamento para professores cátedras e engenheiros brasileiros na Suécia. Hoje, mais de 10 projetos conjuntos estão em desenvolvimento, com 11 empresas e 15 institutos de pesquisa.

"O Grupo de Alto Nível em Aeronáutica é um grande fórum para discutir como podemos desenvolver ainda mais essa cooperação bilateral. O Gripen foi o pontapé inicial para a parceria inovadora entre o Brasil e a Suécia. Isso inclui não apenas o sistema de caça em si, mas também toda a tecnologia e pesquisa por trás do caça e de todos os subsistemas, assim como a competência industrial envolvida. Isso é algo que devemos desenvolver", comentou Jonas Hjelm, chefe da área de negócios Aeronautics, que também esteve presente no encontro.

O estudo do domínio aéreo

Novos projetos e atividades foram discutidos, bem como o andamento do Air Domain Study (Estudo do Domínio Aéreo), estudo realizado pela Força Aérea Brasileira, Innovair, Saab e Embraer. O objetivo é investigar as necessidades conjuntas dos governos e indústrias de ambos os países, como: o desenvolvimento de cenários baseados em necessidades mutuamente relevantes; projetos relacionados à área de Fatores Humanos; navegação através de sistemas de georreferenciamento; Gerenciamento de Tráfego Aéreo (ATM, sigla em inglês) - incluindo Gerenciamento de Tráfego Aéreo Não Tripulado (UTM) e ATM em áreas remotas; além de sensores e softwares para detecção e rastreamento de "alvos difíceis" como penetração de folhagens e camuflagem, e objetos com secção transversal de radar muito pequena.

O propósito do HLG

O objetivo é criar atividades aeronáuticas conjuntas que sejam mutuamente benéficas em termos de compartilhamento de custos, estabelecer redes técnicas em áreas priorizadas e transferir conhecimento entre os dois países, tudo para criar sistemas de inovação aprimorados.

Semanas de Inovação Suécia-Brasil

O encontro foi realizado durante a Semana de Inovação Suécia-Brasil, evento promovido pela Embaixada da Suécia em parceria com a Câmara de Comércio Sueco-Brasileira, o Business Sweden e o Centro de Pesquisa e Inovação Sueco-Brasileiro (CISB). Além de Brasília, o evento contemplou várias cidades brasileiras como Belo Horizonte, Fortaleza, Rio de Janeiro, Salvador, Santo André, São José dos Campos e São Paulo, e aconteceu entre os dias 19 e 30 de novembro.

Phoyo by Washington Costa/MDICPhoyo by Washington Costa/MDIC

 

 

 

 

 

 

 

Imagens por Washington Costa/MDIC