A evolução do programa de transferência de tecnologia do Gripen NG

Em outubro de 2015, o primeiro grupo de brasileiros escolhido para participar do programa de transferência de tecnologia do Gripen NG mudou-se para a Suécia. Nesse período, os engenheiros e técnicos receberam treinamentos teóricos e práticos. Com isso, adquiriram habilidades e conhecimentos para o desenvolvimento e a produção do caça.

Atualmente, cerca de 150 profissionais brasileiros estão participando de treinamentos na Suécia e mais de 30 já retornaram ao Brasil – a maioria está trabalhando no Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen (Gripen Design and Development Network – GDDN), que já conta com mais de 40 profissionais brasileiros e cerca de 20 suecos expatriados.

Até 2024, mais de 350 profissionais, incluindo engenheiros, operadores, técnicos e pilotos das empresas parceiras da Saab e da FAB terão passado por essa experiência. Serão mais de 60 projetos, com duração de até 24 meses.

O programa de transferência de tecnologia para o Brasil é subdividido em quatro áreas: treinamento teórico, programas de pesquisa e tecnologia, treinamento on-the-job na Suécia e desenvolvimento e produção.

Para o desenvolvimento dos 36 caças Gripen NG da Força Aérea Brasileira, sendo 28 monopostos e oito bipostos, a Saab tem uma forte parceria colaborativa com empresas brasileiras, como Embraer, AEL Sistemas, Akaer, Atech e Atmos.