O Futuro Integrado

Um avião de caça moderno terá uma vida operacional média de trinta a quarenta anos, com a possibilidade de ser ainda mais. Isso representa um grande desafio para as forças aéreas. Afinal, como manter a superioridade tecnológica ao longo de toda a vida operacional do caça? Especialmente quando os recursos de engenharia estão se tornando cada vez mais disponíveis, tanto para aliados quanto para inimigos, e a tecnologia avança com muita rapidez.

O aspecto mais inteligente do Gripen é a sua habilidade de evoluir constantemente. Poucas coisas têm uma tecnologia mais avançada e complexa quanto os aviões de caça. No entanto, eles podem ser atualizados de forma muito similar à que você atualiza o sistema operacional em seu smartphone ou adquire novas funcionalidades em aplicativos. Tradicionalmente, uma aeronave opera por 10-15 anos antes de ser atualizada para voar outros 10-15 anos. Mas o Gripen é diferente. Temos uma longa tradição de desenvolvimento gradual. A cada dois ou três anos, introduzimos novas atualizações operacionais e melhorias de combate no Gripen.

                       

Nossa filosofia

Nossa filosofia de desenvolvimento tem diversas vantagens. O mais importante é que o caça está sempre atualizado e é aperfeiçoado continuamente para enfrentar e superar desafios de combate. Em segundo lugar, as atualizações podem ser adaptadas a requisitos específicos.

Ao fazer apenas uma atualização importante, você terá
que prever as necessidades operacionais futuras para o resto do ciclo de vida do avião dispondo de pouquíssimas informações sobre futuras ameaças. O mundo está em constante mudança, e o ritmo é rápido. Cinco anos atrás, poucos poderiam prever os acontecimentos na Ucrânia e na Síria. O projeto flexível do Gripen nos permite atualizar constantemente o sistema e adicionar recursos quando a necessidade surge.

 

Como fazemos isso?

Então, como é possível incorporar novas tecnologias em um caça complexo já existente? Em primeiro lugar, isto ocorre graças ao projeto flexível e modular do Gripen. Sempre que o foco do desenvolvimento muda para uma nova área de interesse, os módulos dentro desta área podem ser atualizados com um mínimo de impacto no restante do avião. Em segundo lugar, o Gripen possui uma arquitetura de aviônica dividida, onde os sistemas críticos de voo ficam separados do sistema tático. Desta forma, é possível realizar mudanças, adaptações e melhorias na aviônica tática sem interferir nas características de voo e no sistema de controle do avião.

O Gripen C/D e o Gripen E, da próxima geração, são duas plataformas diferentes, mas elas serão capazes de se beneficiar mutuamente em desenvolvimentos futuros. Será possível adicionar recursos do Gripen E no Gripen C/D, e vice-versa. E, no futuro, será possível adicionarmos mais recursos.

Nossos clientes podem crescer constantemente com o Gripen.