SAM - A Fábrica de Aeroestruturas do Novo Caça Gripen

O Programa Gripen segue a sua evolução. A cidade de São Bernardo do Campo, município da Região Metropolitana de São Paulo que integra o Grande ABC paulista, vai receber a Saab Aeronáutica Montagens (SAM), a nova fábrica de aeroestruturas da Saab. Lá serão produzidas fuselagens dos caças nas versões monoposto e biposto da Força Aérea Brasileira (FAB) para dar continuidade à inovação no Brasil.

"A SAM pode ampliar os horizontes dos negócios e, embora inicialmente atenda os pedidos dos caças Gripen pela Força Aérea Brasileira, em breve ela poderá atuar na produção de pedidos de exportação do caça para todo o mundo."
Marcelo Lima, diretor-geral da SAM

 

Com mais de 820 mil habitantes, São Bernardo do Campo é considerada uma cidade com forte tradição industrial e de localização estratégica em termos de logística pelas grandes indústrias por ter fácil acesso a portos, aeroportos e rodovias. É nesta região que, a partir de 2018, a SAM vai começar a ser implementada para as futuras operações de produção das aeroestruturas do caça Gripen. Este é mais um firme e longo passo na parceria entre a Saab e o Brasil.

Na fábrica, serão produzidos o cone de cauda, os freios aerodinâmicos, o caixão das asas, a fuselagem dianteira (tanto da versão monoposto quanto da versão biposto) e a fuselagem traseira dos caças Gripen para a FAB. "Estabelecer a produção dos caças Gripen no Brasil para apoiar a continuidade do programa faz parte do nosso comprometimento, assim como criar novos empregos e apoiar o desenvolvimento da indústria de defesa local", explica Mikael Franzén, head da unidade de negócios Gripen Brasil na Saab.

Quando uma fábrica desse porte se instala no País, certamente faz toda a diferença não só para a indústria, mas também para a cidade que a recebe. A fábrica é moderna, dedicada à produção de aeroestruturas para aeronaves de alto desempenho, que tem como objetivo atender ao mercado aeronáutico global a longo prazo. Ser lembrada pela qualidade de sua produção e pela mão de obra é um fato que enobrece uma região e pode, inclusive, atrair mais negócios. "Nos dois primeiros anos do projeto Gripen, concentramos esforços no desenvolvimento da aeronave e no início do programa de transferência de tecnologia. Seguindo o cronograma, agora estamos estabelecendo a produção no Brasil para apoiar a continuidade do programa Gripen no país", prossegue Franzén.

Inicialmente, a fábrica de aeroestruturas vai contar com 55 funcionários diretos, entre engenheiros e técnicos altamente qualificados. Após o processo seletivo dos profissionais, mais da metade será treinada nas instalações da Saab em Linköping, na Suécia. Esses profissionais terão uma grandiosa experiência de aprimoramento de conhecimento que pode durar de 12 até 24 meses e, ao retornarem ao Brasil, estarão aptos para transmitir todo o conhecimento aos futuros funcionários, diretos ou indiretos.

A fábrica vai ficar sob o comando de Marcelo Lima, engenheiro brasileiro com 24 anos de experiência em implantação e gestão de manufatura nos setores automobilístico, de energia e de produtos de linha branca. "O programa Gripen é um divisor de águas para o setor de defesa no Brasil. Tenho a honra de participar de um projeto tão importante para a indústria brasileira", diz. "A SAM pode ampliar os horizontes dos negócios e, embora inicialmente atenda os pedidos dos caças Gripen pela Força Aérea Brasileira, em breve ela poderá atuar na produção de pedidos de exportação do caça para todo o mundo. Além disso, as instalações da fábrica também comportam a fabricação de estruturas de fuselagem complexas para o setor de aviação comercial, fazendo com que a inovação e a tecnologia prosperem e se ampliem", explica Marcelo.