A origem do Gripen

Durante a Guerra Fria, a Suécia sentia-se ameaçada pelos países signatários do Pacto de Varsóvia. A nação precisava de uma aeronave que pudesse superar e conter forças inimigas mais expressivas de aviões de caça.

O norte da Suécia é um local implacável com invernos longos e congelantes, além de amplas áreas sem população. O terreno apresenta um ambiente hostil para a operação de uma aeronave – embora tenha sido este lugar o berço do Gripen.

A defesa dessas vastas áreas exige que um avião desempenhe missões ar-ar, ar-terra e de reconhecimento numa única incursão, sem a necessidade de retorno à base para reconfiguração.

O Gripen também foi concebido para pousar em rodovias, usando-as como pistas temporárias, permitindo à Forca Aérea usar sua flexibilidade logística e velocidade para se proteger de forças invasoras que viessem do mar. A fácil manutenção e reconfiguração também eram vitais, já que os aviões seriam operados por reservistas suecos com apenas 10 semanas de treinamento – em geral, ao ar livre, em condições isoladas e com gelo.

O relativamente pequeno orçamento de defesa sueco e as severas condições sob as quais o Gripen foi desenvolvido levaram a Saab a torná-lo o caça mais eficiente possível. Um aspecto fundamental é a arquitetura modular e de aviônica aberta do Gripen, que permite a integração com produtos de prateleira sempre que possível, assim como o desenvolvimento contínuo de novas funções para atender as necessidades futuras.

O Gripen NG incorpora o pensamento de ponta da Saab ao reunir desempenho, custo-benefício e cooperação industrial em um único sistema de avião de caça inteligente.

Desenvolvimento contínuo

A Saab trabalha em estreita cooperação com seus clientes em todo o planeta a fim de aprimorar a aeronave. Juntos, possuímos uma longa tradição de desenvolvimento contínuo.

Ao invés de realizar grandes e caros upgrades de meia-vida, a Saab usa um ciclo curto de upgrade que promove melhorias incrementais. Isso garante que a aeronave esteja moderna e que os upgrades possam ser adaptados a um mundo em constante mutação. A melhoria nos custos se estende durante um longo período e os upgrades não são obrigatórios – sempre serão uma escolha do cliente.